quinta-feira, 25 de maio de 2017

AR DE ABANDONO NA ZONA RIBEIRINHA DO RIO ARADE









Continua tudo na mesma na zona ribeirinha do Rio Arade, tudo abandonado e destruído. Estamos a chegar à época alta para recebermos os turistas, gente que nos visita de outras paragens e apresentamos um retrato destes. É de lamentar que a Câmara Municipal de Portimão e Junta de Freguesia não tenham minorado esta situação... Podemos ver as casas de banho, ciclovia, passadiço, espaço verde junto à estátua do Poeta, protecção do Rio em ferro tapado com arames, calçadas levantadas. Para quando a sua reparação, se há dinheiro?

FRASE DO DIA (555)


Marques Mendes teve um trajecto político ascensional, construído na sombra do cavaquismo que premiou uma série de medíocres e lhes deu uma aura de magos no capítulo das negociatas e do comissionismo.

A LUTA CONTRA O GLIFOSATO E A MONSANTO É PARA CONTINUAR



A UE prepara-se para autorizar a utilização de glifosato por mais 10 anos, declarando que este herbicida cancerígeno é seguro. O conhecimento dos efeitos nocivos e cancerígenos deste herbicida têm aumentado, assim como da falsificação de estudos e a manipulação da opinião por parte da Monsanto (a empresa que produz o glifosato), para manter este veneno legal. Num pesadelo mais próximo, o governo regional da Extremadura aprovou a aplicação de glifosato no Rio Guadiana, em Badajoz para destruir a proliferação de um tipo de nenúfar. O que pode levar a um desastre ecológico e de saúde pública.
Mais Aqui

quarta-feira, 24 de maio de 2017

TRUMP, ARÁBIA SAUDITA E ISRAEL: A ALIANÇA DIABÓLICA



FRASE DO DIA (554)


Bastava passear a autodeterminação do nosso comando pela esmagadora maioria dos canais de informação televisivos de segunda-feira para perceber a tristeza incrédula de muitos face à proposta de Bruxelas para a saída de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo.

DAESH RECLAMA A RESPONSABILIDADE PELO ATAQUE TERRORISTA DE MANCHESTER


Não é segredo para nenhum dirigente político do mundo, independentemente da sua posição ideológica ou religiosa que o Daesh é directamente apoiado pela Arábia Saudita com armas, dinheiro e a ideologia wahabbi.
Donald Trump, de visita à Arábia Saudita, acaba de assinar um contrato de venda de armas com este país, no valor de 100 mil milhões de dólares, que, como se sabe, também foi apoiado por Bush e Obama. Alem disso, o bombista que esta segunda-feira se fez explodir em Mancheter, provocando 22 mortos e mais de seis dezenas de feridos era de origem líbia, onde os Estados Unidos fundaram e armaram a al-Qaeda, denominada “rebeldes moderados” para derrubarem Gadaffi.
Em entrevista ao jornal i da passada sexta-feira, Marisa Matias recordava duas situações recentes que não auguram nada de bom em relação em relação ao que a Europa pode esperar no que diz respeito a ataques terroristas: 1) Semanas depois do atentado de Paris, Hollande estava a condecorar um príncipe saudita; 2) A própria eurodeputada do Bloco de Esquerda apresentou duas vezes a proposta de que houvesse embargo de venda de armas a terroristas e essas propostas nunca passaram.
Dito isto, é absolutamente claro que os cidadãos europeus vão pagar com as suas vidas os resultados de negócios fabulosos que beneficiarão uma pequena minoria.